(51) 991.612.101

Você sabia que a Lombalgia atinge mais de 80% da população nacional?

Consumo de Vitaminas e Minerais auxiliam no combate e na prevenção de dores nas costas

Algum dia você já se queixou de dores nas costas? Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 80% da população está sofrendo com a lombalgia, chamada de dor lombar, dores concentradas na parte inferior da coluna, acabam por corresponder a um terço dos casos de invalidez ocupacional no mundo. Entre 187 países de diferentes regiões pesquisadas, constatou-se que 9,4% da população mundial, sofre com dores lombares.

No Brasil, em 2013 a lombalgia foi uma das doenças que mais afastou trabalhadores de seus postos, isso justifica o quanto devemos nos atentar e prevenir essas dores, é fundamental perceber e conhecer os sintomas que possam aparecer e preservar essa estrutura do nosso corpo, evitando hábitos e atividades que possam causar danos ao nosso sistema esquelético.

Quais as principais causas da Lombalgia?

· Excesso de peso
· Movimentos bruscos
· Inflamações
· Nervos
· Reumáticas
· Lombar inespecífica
 
Uma certa frequência dessas ocasiões tende a aumentar com o envelhecimento, as crises se tornam mais intensas, podendo gerar um problema crônico. A falta de condicionamento físico também podem gerar dores muito fortes. Na maioria dos casos estão relacionadas à sobrecarga e esforços repetitivos que levam o indivíduo a ter distensão e inflamação local. Uma musculatura mal condicionada, junto com a falta de preparo físico podem “travar” as costas.

Segundo Renata Daldegan, empresária no ramo de Nutracêuticos e Suplementos Natural Flora, as  vitaminas e minerais ajudam no combate e  prevenção à Lombalgia, assim como dores que são causadas pelo desgastes de articulações e ossos , conforme o passar dos anos. Entendemos que os alimentos que vêm da natureza, ajudam no combate das patologias em questão.

Uma outra doença associada à idade e a dores nas costas, são as fraturas osteoporóticas. A perda da qualidade óssea, o excesso de peso corporal ou pequenos traumas podem gerar fraturas.
 

Fonte: Dino