(51) 991.612.101

Outono & inverno: dermatologista ensina como ter cuidados com a pele e o cabelo

O outono no Brasil tem temperaturas variadas, dependendo da região do país, por isso, é preciso tomar cuidado quando for cuidar da pele diante dessas oscilações

O outono começou oficialmente no Brasil no último dia 20 de março. Como estamos em um país tropical, nem sempre as temperaturas acompanham a lógica das estações. Por aqui, o outono costuma ser ameno. Porém, em algumas partes do país, as temperaturas mais frias de 2016 ocorreram ainda nesta estação, e não no inverno. Portanto, é importante cuidar da saúde nesses períodos de oscilações. E isso inclui também a pele e os cabelos.

A seguir, a dermatologista Thais Sakuma, assessora do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, dá algumas dicas para que as estações mais frias sejam aproveitadas ao máximo, sem prejuízos.

Hidratação, sempre

Há pessoas que têm dificuldade em ingerir líquidos, especialmente quando a temperatura cai, mas é importante que saibam que, não importa a época do ano, a hidratação é essencial para o corpo. “É necessária a ingestão de líquidos para não ficar desidratado, o que refletirá no corpo como um todo, incluindo a pele, claro”, alerta a dermatologista Thais Sakuma.

Banhos quentes

Falando em água, as pessoas costumam esquentar a temperatura do chuveiro, o que é um erro. “Os banhos não devem ser demorados e a água deve estar morna. Isso porque, nessa época, a pele já fica mais seca, pois há menos transpiração cutânea. Tomar banho quente retira a oleosidade da pele, diminuindo o manto hidrolipídico -hidratante natural produzido pelo organismo”, alerta a médica.

Quanto ao sabonete, o melhor é optar pelo líquido, que agride menos a pele, pois é mais suave. Não se deve usar o mesmo produto para limpar rosto e corpo. Isso porque a pele da face é mais delicada. O ideal é procurar itens específicos. “Importante: no corpo, deve-se usar mais o sabonete nas áreas de dobras, como axilas, região genital e nádegas”, afirma Thais.

A maioria das pessoas sai do banho, se seca e já coloca a roupa porque não quer sentir frio, mas o ideal é passar um hidratante voltado para o tipo de pele. Portanto, vale a pena investir uns minutinhos cuidando da pele ainda dentro do banheiro, aproveitando aquele vapor.

Doenças e tratamentos

Outro problema que vem com o ressecamento da pele é que isso pode facilitar o surgimento de alergias, pois a proteção contra agentes externos, realizada pelo manto lipídico, é reduzida e a pela fica vulnerável. Há algumas doenças mais frequentes nesse período, como as dermatites seborreica e atópica, e a psoríase.

Como tudo tem seu lado bom, as estações mais amenas do ano são as melhores para se fazer alguns tratamentos dermatológicos que exigem que o paciente não tome sol, como peelings e procedimentos a laser. Porém, é preciso cuidado com a esfoliação, pois a pele está mais sensível e esse procedimento pode ser agressivo. Portanto, não se deve fazê-lo com frequência.

Cabelos & lábios

As recomendações dadas para a pele valem para os cabelos, pois eles também precisam de uma hidratação mais intensa, já que a água quente resseca os fios e isso pode estimular o aumento da oleosidade no couro cabeludo. O resultado, como citado acima, é uma piora nos quadros de dermatite seborreica, a famosa caspa, por exemplo. O que também pode contribuir para a queda dos fios.

Uma das partes do corpo que mais sofre quando as temperaturas caem são os lábios. Isso acontece porque eles possuem uma pele mais fina em relação a outras áreas do corpo. Assim, podem apresentar descamação e até rachaduras.

O melhor modo de prevenir esses problemas é a hidratação, que pode ser feita com produtos labiais específicos, e por diversas vezes ao dia. Os mais indicados são aqueles à base de manteiga de cacau ou karité e vaselina.

Ah, sim, para quem tem aquele hábito de friccionar os lábios, ou passar a língua sobre eles, cuidado! “A saliva é irritante e acaba piorando a situação, podendo causar inflamação”, avisa a dermatologista.

E por último, mas não menos importante: usar sempre o protetor solar, não importa a estação do ano.

Sobre Drª Thais Sakuma: Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); Residência Médica em Dermatologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG); • Título de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); Membro da Academia Americana de Dermatologia (AAD); Pesquisadora Associada da Universidade da Califórnia, São Francisco (UCSF/2011); atende nas cidades de São Paulo e Campo Grande.

Fonte: Dino