(51) 991.612.101

Conheça as diferenças entre óleos essenciais, essências e água bioativa

A especialista Márcia Dhonella mostra como distinguir óleos e essências utilizadas na Aromaterapia

Não é de hoje que a Aromaterapia vem ganhando cada vez mais adeptos em todo o mundo. Usada como tratamento alternativo para diversos problemas e enfermidades, a técnica deriva da Fitoterapia, o milenar estudo chinês das propriedades das plantas para a saúde humana que já foi bastante aproveitado pela indústria farmacêutica moderna.

A diferença entre os dois está na aplicação da Aromaterapia, que – como sugere o nome – foca no efeito dos aromas de plantas para terapias individuais. E, muitas vezes, é usada em conjunto com a Fitoterapia para atingir os objetivos desejados. Ambos são considerados tratamentos holísticos, buscando afetar positivamente a vida da pessoa como um todo, e não apenas questões específicas ou temporárias.

Para surtir efeito, a Aromaterapia se baseia em óleos essenciais extraídos dos mais diversos vegetais, mas também em outras essências e até mesmo águas biotivas. “Saber diferenciar cada funcionalidade é fundamental para tirar o melhor das substâncias e realmente ganhar qualidade na rotina em geral. Óleos, essências e águas bioativas possuem propriedades distintas e podem ser usados separadamente ou combinados para fins terapêuticos”, explica Márcia Dhonella.

Consultora de Aromaterapia e outros tratamentos holísticos com mais de uma década de experiência, Márcia trabalha para ajudar pessoas a aumentar a qualidade de vida de diversas formas e ajuda a compreender as diferenças fundamentais nas aplicações aromaterapêuticas. E fazer essa distinção entre óleos, essências e águas é um bom começo para quem deseja extrair o melhor da técnica.

“Em uma diferenciação rápida e básica: óleos são totalmente naturais; essências são artificiais, imitações produzidas industrialmente; e as águas biotivas se formam na evaporação dos óleos em seu processo de extração. Óleos e águas possuem fins terapêuticos, enquanto as essências são apenas aromatizantes”, esclarece a especialista.

Os !link óleos essenciais http://www.dhonellalojavirtual.com.br/aromaterapia/essencias-oleos-essenciais/oleos-essenciais/ são os principais produtos da Aromaterapia. São 100% naturais e costumam ser extraídos de folhas, flores ou até mesmo sementes e raízes. A depender de onde foram produzidos e a partir de qual planta, possuem diferentes finalidades. No Brasil, os mais encontrados são capim-limão, laranja, menta, hortelã, lavanda, canela e eucalipto – entre outros.

“Óleos essenciais têm propriedades tanto terapêuticas como apenas relaxantes para quem usa. O estímulo pode ser físico ou emocional, e eles podem ser usados de maneiras diversas. Por isso é tão importante entender o valor de cada planta e o que elas podem trazer para o bem estar do indivíduo”, aponta.

Através de massagens, por exemplo, óleos como o de cidreira podem trazer benefícios dermatológicos para a pele. Já o capim-limão é vantajoso ao ser aplicado em banhos de imersão, trazendo características de relaxamento muscular, desintoxicação e até menor pressão arterial. Mergulhar os pés em uma bacia com poucas gotas de um óleo como o de erva baleeira é bom para inflamações; já compressas ajudam a combater mal estar.

Ainda há a possibilidade de inalar o vapor de óleos essenciais: basta pingar três gotas em água bem quente. “O mesmo pode ser feito como forma de aromatizar o ambiente, com uma odorização mais agradável e trazendo junto as propriedades benéficas daquela planta usada para todos que ali estiverem”, aconselha Dhonella.

Por não terem fins terapêuticos, as !link essências http://www.dhonellalojavirtual.com.br/aromaterapia/essencias-oleos-essenciais/essencias-e-aromas/ possuem outros objetivos para quem usa. E o principal é justamente esse: aromatizar ambientes e trazer uma sensação melhor para quem está lá, ou mesmo se transformarem em perfumes pessoais. Rechôs de cerâmica e metal são os objetos mais indicados para aproveitas as essências, além de serem belas peças decorativas.

“As gotas devem ser pingadas em água na parte de cima para a vela embaixo aquecer e soltar o perfume. As essências da flor de laranjeira, de jasmim ou de rosa são as mais indicadas para aromatização local. A primeira é tranquilizante, a segunda é afrodisíaca e a terceira é antidepressiva”, garante a consultora.

Por fim, !link águas biotivas http://www.dhonellalojavirtual.com.br/essencias-e-aromas/agua-bioativa-menta-doce.html são extraídas do processo de produção de óleos essenciais: a água evaporada guarda alguns resquícios do óleo em questão. Por serem bem menos concentradas, costumam ser aplicadas diretamente no corpo e na composição de cosméticos. Também conhecidas como hidrolatos, essas águas possuem diversas características.

“Os hidrolatos são ótimos para a pele, com propriedades de regeneração, rejuvenescimento, hidratação e tonificação. Ainda servem para limpeza facial ou corporal e relaxamento. Aqui vale apostar em plantas como a pitanga e a menta doce, mas procure saber melhor sobre todas para encontrar aquela ideal para o que deseja”, completa Dhonella.

Óleos, essências e hidrolatos possuem características bastante distintas e aplicações específicas para ajudar qualquer pessoa a ter melhor qualidade de vida. Por isso, saber como e quando usá-los é tão importante. Para mais dicas e produtos de Aromaterapia e outros tratamentos holísticos, acesse www.dhonellalojavirtual.com.br.

Fonte: Dino