(51) 991.612.101

Quem é o Visagista? O futuro do mercado de beleza

Quem é o Visagista e qual é a sua função? Esse profissional é o futuro do mercado de beleza e seu trabalho no dia a dia é explicado em maiores detalhes no livro ‘Visagismo na Prática’, de autoria do professor de Visagismo Acadêmico e Virtual Robson Trindade.

Visagista é um coaching para sua imagem.
 
Para falar desta habilidade de Engenharia de Imagem, temos que começar refletindo sobre o Visagismo, que até bem pouco tempo era conhecido apenas como uma atividade dos profissionais de beleza, que atuavam na caracterização de um personagem para o entretenimento ou na criação de um visual de cabelo e maquiagem para uma cliente, declara o professor de Visagismo Virtual Robson Trindade http://educacaovisagismoeprojetos.com.br/parceiros/robson-trindade/ .

 Mas tudo avançou, o mundo avançou … O Visagismo também avançou na sua definição e em sua atividade prática profissional. De que forma?
 
Hoje um Visagista atua como um coaching de imagem que constrói projetos de harmonização, que alinham a necessidade da imagem ao desejo da cliente, saiba mais no livro http://educacaovisagismoeprojetos.com.br/livros/visagismo-na-pratica/ .
 
Recurso que elabora a composição de uma identidade visual personalizada, onde o profissional ajusta imagem e autoimagem, em sintonia com o estudo da estruturas do rosto e o equilíbrio da aparência.

Visagista é um profissional que ampliou suas habilidades, seu modo de sentir e agir com o cliente, traçando metas detalhadas para alcançar o que é mais importante para um cliente – “a satisfação pessoal”.
 
O Visagista explora a potencialidade da aparência com recursos que beneficiam o entendimento das estruturas, alinhado as características pessoais de um cliente, seu estilo e sua personalidade.
 
O Coaching Visagista desenvolve projetos a partir da análise e da composição dos aspectos visuais, físicos, dos valores sociais e culturais implícitos e explícitos na imagem.
 
Identifica os recursos de embelezamento que podem harmonizar e favorecer o processo de transição da comunicação da imagem.
 
As ferramentas do Visagismo – visualização, gestual intuitivo, cores e formas e linguagem, habilitam os projetos para pessoas, empresas e/ou produtos.

O desenvolvimento da visualização deve iniciar com habilidades básicas que levem o Visagista ao desempenho de uma visão transformadora da imagem, somado vários conhecimentos sobre proporções, volumes, perspectivas tonal e linear, cores e formas.
 
O objetivo com o cliente é levá-lo a uma mudança no modelo mental (mindset) sobre sua autoimagem, mostrando um novo caminho para melhorar a aparência.
 
Conhecer e descobrir o que é importante para a fortalecer a autoconfiança, ajudando a encontrar sua verdadeira e personalizada identidade visual.
 
A linguagem silenciosa (não verbal), traduzida da observação dos gestuais intuitivos é outro ponto importante, para entender como a análise pode favorecer e refinar a percepção do cliente, resgatando a beleza da aparência e a autoestima.
 
Visagista é um especialista em Imagem que valoriza a relação de confiança com o cliente, credibilizando o resultado final da consultoria.
 
A experiência do cliente com a Consultoria Visagista revela o papel fundamental do consultor em credibilizar a reforma física, comportamental e pessoal em sintonia com a natureza individualizada de cada cliente.
 
Em foco: Visagismo e a Imagem.
Você está satisfeita com sua imagem?
Sua Imagem diz tudo sobre você?
Ela reflete quem você é?
 
Você está convidado a refletir sobre o que você quer com a sua imagem, pensando em você da cabeça aos pés. Questionar a imagem não é uma questão de vaidade ou narcisismo, mas sim uma oportunidade de olhar para si e reconhecer-se por inteiro.
 
Para refletir sobre estes questionamentos, cada dia se torna relevante avaliarmos o que buscamos transmitir com a nossa imagem. Estamos o tempo todo nos expondo em razão desta nova forma de viver e conviver com as mídias sociais, comportamento que toma conta das sociedades no viver de imagens.
 
Todo esse trabalho de análise começa pelo rosto, sede da identidade de um indivíduo, reunindo quantitativamente elementos de observação e as sutis assimetrias que compõe esta estrutura.

Fonte: Dino