(51) 991.612.101

A “bananinha” tem jeito, sim! Saiba como a gordurinha abaixo dos glúteos pode ser corrigida

Você se incomoda com o excesso de gordura abaixo do bumbum? Saiba que isso pode ser facilmente aperfeiçoado!

Ainda que quase todas as mulheres saibam do que se trata a “bananinha”, àquelas que não sabem (felizmente) vai a explicação: bananinha é o apelido e também o nome propriamente dito (até em inglês se usa o mesmo termo, “banana fold”) daquela dobrinha de pele/gordura/tecido subcutâneo que se forma logo abaixo do sulco do bumbum.

O tamanho da bananinha até pode diferir de um lado para outro de um mesmo corpo. E além das diferenças de volume, também existe a diferença na composição da bananinha, podendo ter predominância maior de pele/tecido subcutâneo ou de gordura.

Independentemente de qual seja o tecido preponderante, a bananinha incomoda muitas mulheres, e diferente do que se fala por aí, ela tem jeito sim, e de uma forma totalmente diversa do que você já ouviu até agora.

LIPOASPIRAÇÃO OU LIPOESCULTURA: QUAL O PROCEDIMENTO IDEAL PARA REMOVER A “BANANINHA”?

Eu mesmo costumava dizer que a bananinha era um dos desafios à cirurgia plástica, como muitos ainda dizem. Mas atualmente, não digo mais.

A bananinha pode ser tratada e melhorada sim, mas ao invés de tentar removê-la com lipoaspiração ou com outros métodos não-invasivos (e pouco eficazes), o segredo é….preencher a bananinha! E com a gordura do seu próprio corpo. Isto é, estamos falando de uma lipoescultura, o que não é nenhuma grande novidade, entretanto, de um método de lipoescultura com resultado duradouro, efetivo e seguro.

Pode parecer um contra senso enxertar gordura num local que já tem alguma quantidade de gordura, porém, sob a ótica cirúrgica, faz todo o sentido.

Se a bananinha é um dobra de pele, com alguma quantidade de gordura abaixo dela, uma camada de gordura colocada logo abaixo do tecido subcutâneo fará o preenchimento que esta região precisa, desfazendo a dobra de pele.

Um equívoco comum seria a lipoaspiração desta área, o que acentuaria ainda mais a dobra de pele, pois a mesma ficaria sem a sustentação e preenchimento da gordurinha abaixo dela.

Vale frisar que este tipo de procedimento não está indicado para uma bananinha com excesso de pele flácida: nestes casos, o recomendável é a excisão deste excesso de pele, posicionando a incisão ao longo do sulco glúteo, bem escondida.

Cada vez mais estamos vendo as vantagens de se aproveitar a própria gordura para corrigir e dar volume e curvas naquelas regiões que sofreram os efeitos do tempo.

A gordura passou a ser uma aliada, e uma fronteira cada vez mais explorada no universo da cirurgia plástica. A lipoescultura é feita na face, nas mamas, nas nádegas, e etc. e o cirurgião que domina a técnica, está realizando um procedimento de ponta. Esqueça que a lipoescultura não funciona.

A partir de agora, fique com este conceito: a gordura bem colhida, centrifugada, preparada, e cuidada é rica em células-tronco, e estas células operam verdadeiros milagres. Fazendo um enxerto meticuloso, com instrumental cirúrgico moderno, a capacidade da sua própria gordura modelar o seu rosto e o seu corpo é fantástica.

Então, voltando à bananinha, nada de lipoaspirá-la, e sim, preenchê-la. E finalmente, dê uma banana às suas bananinhas!

Sobre o Dr. Eduardo Lange
Membro Especialista e TITULAR da SBCP (Sociedade Brasileira da Cirurgia Plástica). Membro da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). Credenciado nos seguintes hospitais de São Paulo: Albert Einstein, Sírio Libanes, Samaritano, São Luiz e Santa Catarina.

Website: http://clinicalange.com.br

Fonte: Dino