(51) 991.612.101

Suplementos x CrossFit: como potencializar os resultados

CrossFit é o método de treinamento que mais cresce atualmente no mundo por proporcionar uma completa adaptação fisiológica possível no seu praticante, independentemente da idade ou nível físico do mesmo. Mas como potencializar tudo isso, atingindo os melhores resultados? A suplementação correta é o grande segredo.

Em alta no Brasil, o CrossFit é um programa de treinamento de força e condicionamento físico geral baseado em movimentos funcionais, feitos em alta intensidade e constantemente variados. Normalmente os exercícios se enquadram em três modalidades: levantamento de peso olímpico, ginástica olímpica e condicionamento metabólico, ou cardio. Trata-se do método de treinamento que mais cresce atualmente no mundo, por proporcionar uma completa adaptação fisiológica possível no seu praticante, independentemente da idade ou nível físico do mesmo. Com a prática do esporte é possível obter resistência cardiovascular (respiratória), resistência muscular, força, flexibilidade, precisão, potência, agilidade, equilíbrio, coordenação e velocidade. Mas como potencializar tudo isso, atingindo os melhores resultados?

A suplementação correta é o grande segredo. Em um treino típico, atletas e praticantes irão fazer um aquecimento, a prática de uma técnica ou segmento de treinamento de força e depois o WOD (workout of the day), ou treino do dia. A montagem do WOD muda de dia para dia, mas tipicamente inclui uma mistura de exercícios funcionais feitos em alta intensidade por um período que geralmente varia entre 5 a 20 minutos. É exatamente para os WODs que os suplementos fazem toda a diferença.

O primeiro segredo é a fonte de energia. Para um Treino Hiit, também conhecido no Brasil como Treino Intervalado de Alta Intensidade, como o CrossFit, é fundamental uma fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico. Dessa forma o atleta terá energia para performar durante todo o período de exercício e não correrá o risco de ter uma queda da glicemia, que pode causar fraqueza e tontura. “Um suplemento muito utilizado e eficaz é o Waxy Maize, que é absorvido lentamente, não apresenta pico de insulina e ajuda na queima de gordura. Estudo com ciclistas que consomem esse carboidrato demonstrou uma oxidação maior da gordura, em comparação com ciclistas que não utilizam o suplemento, e, consequentemente o emagrecimento.”, explica o médico nutrólogo Dr. Renato Lobo.

Outro suplemento conhecido e até mesmo condenado erroneamente é a creatina. “Há o mito de que a creatina sobrecarrega os rins ou pode causar pedras nos rins, mas se o indivíduo não possui deficência renal, a creatina pode, sim, ser usada com segurança. Obviamente que é fundamental o acompanhamento médico para utilização correta e dosagem ideal. “, ressalta o médico. A creatina é o suplemento mais bem estudado e com o maior evidência científica de funcionalidade. Em exercícios de curta duração ela é importante pela a reciclagem rápida de energia. Estudo com atletas de futebol americano comprovou que a creatina aumenta a força dos esportistas, atrasa a fadiga e reduz a lesão.

“A beta-alanina também pode ajudar bastante os praticantes de Crossfit. Isso porque ela neutraliza o excesso de acidez de dentro da célula muscular, atrasando a fadiga muscular, muito comum nos WODs”, afirma Dr. Lobo. O aminoácido serve para produzir um componente chamado carnosina, que atua justamente no bloqueio do excesso de acidez. A fadiga do exercício nada mais é que o alto nível de ácido lático no músculo, que faz o mecanismo de contração falhar.

E o último e não menos importante suplemento muito indicado para os praticamente de Crossfit é o ômega 3, que atua de três formas: reduzindo a asma induzida pelo exercício, principalmente em atletas com dificuldades respiratórias; alterando a constituição das membranas das células muscular, fazendo com que a recuperação pós-treino seja muito melhor, mais rápido e com menos dor; e melhorando a performance em exercícios rápido, conhecidos como anaeróbicos.

Website: https://www.facebook.com/dr.rlobo/

Fonte: Dino