(51) 991.612.101

Nova tecnologia, que acaba de chegar no Brasil, utiliza plasma e pode ser usada no tratamento de vários problemas de pele

Com tecnologia de ponta, o Plasma BT é um equipamento inovador que chega ao mercado brasileiro com proposta terapêutica única.

Se tem um ramo no qual a crise não causou grandes impactos é no mercado de medicina estética. A busca pela beleza e cuidado, para elevar a autoestima, faz com que esse mercado não pare de crescer.

Há quem acredite que manter a pele bem cuidada com o passar dos anos e apresentar uma boa aparência, sem perder a naturalidade, é uma tarefa muito difícil. Mas, com esse crescimento do mercado de medicina estética e os investimentos que nele são feitos, isso tem se tornado cada vez mais fácil e possível.

A busca por procedimentos que disfarcem as marcas de envelhecimento tem aumentado cada dia mais. Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (ISAPS), divulgados em junho de 2017, o Brasil responde por 10,7% de todos os procedimentos realizados no mundo, ocupando a segunda posição no ranking global de cirurgias plásticas. Apenas no Estado de São Paulo, segundo aponta um levantamento feito em 2016 pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo, a média é de 50 mil cirurgias plásticas realizadas por mês.

Assim como as cirurgias plásticas, existem muitos outros métodos que têm excelentes resultados para deixar a pele mais jovem e dar aquele upgrade no visual, como, por exemplo, os peelings superficiais médios ou profundos, como o de fenol e o uso de lasers de Co2 e Erbium, que são opções não cirúrgicas nas quais o tempo de recuperação e o resultado dependem da intensidade e profundidade utilizadas. Mas uma nova tecnologia, que acaba de chegar no Brasil, veio para mudar isso, com recuperação até três vezes mais rápida do que os lasers, sem abrir mão de resultados surpreendentes: o Plasma BT.

Mas afinal, o que é Plasma? Os estados físicos sólido, líquido e gasoso são bastante conhecidos e é no estado gasoso que surge o plasma. Quando um gás é energizado, obtém-se o plasma, que é considerado o 4º estado da matéria e aparece naturalmente no espaço interestelar em atmosferas do sol e em outras estrelas, outro exemplo na natureza é o raio. O plasma pode ser criado e está presente nas lâmpadas fluorescentes, na TV de plasma, na indústria, na agricultura  e agora, também na estética.

O equipamento Plasma BT possui dois aplicadores, cada uma com uma proposta terapêutica diferente: Plasma Raytrace e Plasma Shower. O primeiro é o aplicador de modo cirúrgico, que tem ação ablativa, ou seja, lesa superficialmente a pele. Já o segundo não é ablativo, pois mantém a pele íntegra. O uso de cada tecnologia varia, de acordo com as indicações do tratamento. Com alta precisão e segurança, 4 patentes tecnológicas e protocolos exclusivos registrados, o Plasma BT permite até 45 programações diferentes, que podem ser ajustadas de acordo com objetivo do tratamento.

Diferente dos peelings químicos e lasers, que vaporizam e queimam profundamente para terem melhores resultados, o Plasma BT trabalha utilizando a pressão atmosférica para criar um plasma puro. A ponteira Raytrace age sublimando apenas a superfície da pele, chegando a 1000°C sem ultrapassar a lâmina basal, mantendo uma ação mais profunda a 40°C sem destruir nenhuma célula, regularizando suas membranas e acelerando o processo de renovação celular, conhecido como efeito de elevador. Suas principais indicação são para tratamentos na área dos olhos, pálpebras superior e inferior, rugas, cicatrizes, arqueamento de sobrancelha e nariz, contorno labial, manchas e lesões dermatológicas

Com a ponteira Shower todo o efeito do plasma é em frações. Suas principais indicações são para tratamento de acne, efeito anti-inflamatório, sistema de esterilização, clareamento, estímulo de colágeno e elastina, aumentando a capacidade hidratação e tonificação da pele.

Nem todo equipamento que gera plasma está dentro da Proposta Terapêutica do Plasma BT, que é de tratar a pele com um processo acelerado de cicatrização. Por isso, o paciente interessado no tratamento deve procurar profissionais licenciados, que se especializaram e podem proporcionar, com segurança, resultados surpreendentes.

Para conforto do paciente, um anestésico tópico ou injetável pode ser aplicado antes do procedimento. Durante a sessão, o médico ou seu auxiliar, executa uma série de impactos com o equipamento, que forma crostas de sublimação na pele, o que induz à retração instantânea da área tratada. Essas crostas permanecem na área, em média, por 5 dias e não devem ser manipuladas, para que sejam eliminadas naturalmente. Pode ocorrer inchaço e vermelhidão na área tratada por um curto período.

A quantidade de sessões varia de acordo com o objetivo do tratamento, sendo necessárias, geralmente, de 1 a 3 sessões. Essa quantidade deve ser avaliada e indicada pelo médico, antes do início do tratamento.

Em se tratando de rejuvenescimento, existem múltiplas alternativas terapêuticas, mas o Plasma BT promete revolucionar os protocolos para recuperação da pele, buscando a beleza natural com um aspecto mais jovem, tonificado e luminoso.

Website: http://www.plasmabt.com.br

Fonte: Dino