(51) 991.612.101

Segundo estudo, 86% dos brasileiros recorre aos Suplementos Alimentares sem orientação e 66% nem se quer lê o rótulo. Saiba seus riscos:

Segundo dados da Revista Brasileira de Nutrição Esportiva 86% das pessoas consomem suplementos sem orientação e 66% das pessoas nem se quer leram os rótulos. A Nutricionista e Professora de Educação Física Tais Rímoli fala sobre a importância da orientação correta dos suplementos e os prejuízos que podem ser acarretados na busca do melhor suplemento para “Saúde Perfeita”.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) o brasileiro é um dos campeões da América Latina no consumo indiscriminado de medicamentos sem prescrição médica. Dentre os remédios mais procurados são os de gripe, para dores em geral, seguidos por vitaminas e fortificantes. Os dados começam a ficar mais preocupantes quando analisamos o crescimento do uso de suplementos alimentares pois de acordo com o Ministério da Saúde, o uso tem crescido desde 2014 cerca de 25% ao ano.

Em um estudo publicado pela Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, (Rigon, 2012), 86% das pessoas consomem suplementos sem prescrição de um nutricionista e 66% dos entrevistados nem se quer realizam a leitura do rótulo do produto.

Grande parte das pessoas acabam adquirindo suplementos por indicação do professor de educação física, indicação de amigos, vendedor da loja de suplementos, propagandas e quase nunca por orientação profissional cabida, diz Tais Rímoli relatando sua experiência dentro deste universo há 15 anos. De acordo com Tais Rímoli (Nutricionista e Professora de Educação Física) o uso de complementos alimentares é uma estratégia traçada pelo nutricionista com o objetivo de suprir carências de acordo com a necessidade de cada paciente e não substituir a refeição e tão pouco virar um agente milagroso para uma suposta melhora de performance física.

As Doenças Crônicas Degenerativas que atingem 57,4 milhões de brasileiros segundo o Ministério da Saúde (2014) e o IBGE divulga que 62,1% dos brasileiros não praticam atividades físicas em 2015; entre as principais justificativas estão: não gostar, não querer e falta de tempo. Dentro deste panorama podemos entender que a maior parte da população está ficando doente e ainda assim procura uma forma mais “fácil” de se manter em forma com a falsa sensação de saúde.

É importante ressaltar que o uso de medicamentos de forma abusiva e sem orientação pode causar sobrecarga no fígado, rins, disfunções de tireoide dentre outros. A metodologia errônea do consumo de suplementos pode afetar a biodisponibilidade dos nutrientes, como por exemplo: a absorção do zinco é diminuída pela suplementação do ferro não heme, o excesso de zinco irá reduzir a ingestão de cobre, e o excesso de cálcio, ao contrário do que muitos podem imaginar pode ser danosa sim, como por exemplo diminuir a absorção de manganês, zinco e ferro. Outro fator relevante a se considerar é que nem todas as vitaminas tem evidência científica comprovada.

A melhor forma de se manter saudável é praticar atividades físicas regulares e manter uma alimentação equilibrada. O auxílio de um bom profissional nestas duas vertentes está diretamente ligado com o sucesso de seu programa.

Website: http://www.taisrimoli.com.br

Fonte: Dino