(51) 991.612.101

Psoríase pode afetar autoestima e qualidade de vida do paciente

Manchas avermelhadas e escamadas, pele ressecada, e coceira estão entre os principais sintomas.

A psoríase é uma doença inflamatória da pele, crônica, não-contagiosa e relativamente comum. Sua causa ainda é desconhecida e não tem cura, mas sabemos que está relacionada ao sistema imunológico. Ela apresenta características como lesões avermelhadas e descamativas que aparecem, em geral, no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

E exatamente pela exposição e pela forma como se manifesta, ainda existe muito preconceito sobre a doença. “Muitos mitos ainda rondam a psoríase e o mais cruel deles é acreditar que se trata de uma doença contagiosa. Depois existe a vergonha, que faz com que muitos pacientes usem roupas e adereços para esconder a pele com o aspecto avermelhado”, explica a Dra. Simone Neri, dermatologista, esclarecendo que, quando o caso afeta também a parte emocional, o ideal é fazer paralelamente um tratamento psicológico.

Sintomas – Os sintomas variam de paciente para paciente, conforme o tipo da doença, mas podem incluir manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas, pequenas manchas brancas ou escuras, pele ressecada e rachada que podem até mesmo sangrar, coceira, queimação e dor, unhas grossas, sulcadas e descoladas, inchaço e rigidez nas articulações.
“No caso das unhas, é importante saber que muitas vezes os sintomas podem ser confundidos com uma micose, por isso um diagnóstico bem feito é fundamental para o direcionamento do tratamento”, completa.

A Dra. Simone explica, ainda, que as causas da doença podem ser genéticas e que fatores psicológicos e estresse devem ser considerados na hora do diagnóstico. E que a exposição ao frio, o uso de certos medicamentos ou a ingestão de bebidas alcoólicas podem piorar o quadro.

Tratamento – O tratamento da Psoríase vai variar de acordo com o grau e a evolução dos sintomas no paciente. O tratamento tópico – aquele com cremes e pomadas – é indicado para os casos mais leves. Já o sistêmico – com base em medicamentos orais ou injeções, como os chamados medicamentos imunobiológicos – serve para os casos de psoríase de moderada a grave. Há ainda terapias auxiliares, como é o caso da Fototerapia – que utiliza a luz ultravioleta como forma de atenuar os sintomas.

“É muito importante entender que a Psoríase pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e na autoestima do paciente, e é exatamente por isso que o acompanhamento psicológico é tão importante em alguns casos. Fatores que impulsionam a melhora nessas condições são uma alimentação balanceada e a prática de atividade física. O paciente nunca deve interromper o tratamento prescrito sem o aval do médico”, encerra a dermatologista.

Sobre a Dra. Simone Neri:
Dra. Simone Neri está no mercado há 25 anos. Possui amplo conhecimento na área de Cosmiatria e Estética com expertise no manejo de Preenchedores, Toxinas e Lasers, sendo uma das poucas profissionais da área a dominar a técnica consagrada de MD Codes de harmonização facial.
Na área de inovações em técnicas cirúrgicas, participou de um grupo de estudos no Instituto Butantã no tema Toxina Botulínica em Processos Inflamatórios do Couro Cabeludo, com apresentações em Congressos Nacionais e Internacionais. Dentro da área da Dermatologia Clínica, investe em tratamentos inovadores como os Medicamentos Imunobiológicos em doenças crônicas como Psoríase e Hidrosadenite. E, para completar, dentro da Clínica Médica, foi Coordenadora Médica do Pronto Socorro São Luiz Anália Franco.

Fonte: Dino